Será que a religião é apenas um grande negócio?

Será que a religião é apenas um grande negócio?


Você já reparou que muitas religiões parecem se preocupar mais em ganhar dinheiro do que em dar ajuda espiritual para as pessoas? Elas anunciam e vendem serviços e mercadorias. Muitos líderes religiosos recebem bons salários e têm uma vida de luxo. Veja alguns exemplos:

  • De acordo com uma investigação, durante 13 anos um bispo católico usou o dinheiro da igreja para fazer quase 150 viagens em jatos particulares e cerca de 200 viagens de limusine. Ele também gastou bem mais de 4 milhões de dólares em reformas na sua casa paroquial.

  • Num país africano, um pastor realiza regularmente cultos religiosos com dezenas de milhares de pessoas. Na sua enorme igreja, é possível comprar todo tipo de mercadorias, desde “óleo milagroso” até toalhas e camisetas com a foto do pastor. A maioria dos fiéis são pobres, mas ele é extremamente rico.

  • Das quatro montanhas chinesas que são sagradas para os budistas, duas estão registradas como empresas que têm ações na bolsa. E o famoso Templo Shaolin faz parte de muitos projetos comerciais. Seu abade, ou líder, é popularmente conhecido como o “monge CEO” (diretor executivo).

  • Empresas americanas estão começando a contratar consultores espirituais. Uma reportagem diz que, inspirados em tradições religiosas, eles criam rituais sagrados e fornecem outros serviços religiosos para os clientes.

O que você acha de religiões que se envolvem em atividades comerciais? Já se perguntou o que Deus pensa das pessoas que usam a religião para ganhar dinheiro?

O que Deus pensa sobre misturar religião e comércio?

Deus não aprova misturar religião e comércio. A Bíblia mostra que, no passado, Deus ficou indignado com os sacerdotes que diziam que eram representantes dele, mas instruíam o povo “por um preço”. (Miqueias 3:11) Deus condenou as práticas comerciais gananciosas que tinham transformado o templo dele num “abrigo de ladrões”. — Jeremias 7:11.

Jesus tinha o mesmo ponto de vista de Deus sobre os que usavam a religião para ganhar dinheiro. Nos dias de Jesus, os líderes religiosos permitiam que pessoas gananciosas fizessem comércio dentro do templo em Jerusalém e eles ganhavam dinheiro com isso. Assim, pessoas sinceras que iam ao templo para adorar a Deus eram exploradas. Com coragem, Jesus expulsou do templo aqueles comerciantes desonestos e disse: “Parem de fazer da casa do meu Pai uma casa de comércio!” — João 2:14-16.

Jesus também mostrou que pensava igual a Deus na maneira como realizou seu ministério. (João 8:28, 29) Ele nunca cobrou nada para ensinar sobre Deus. Ele também nunca exigiu pagamento pelos seus milagres, como quando alimentou os famintos, curou os doentes e ressuscitou os mortos. Jesus nunca usou seu ministério para ficar rico — ele nem tinha uma casa. — Lucas 9:58.

Como os primeiros cristãos separavam a adoração a Deus dos assuntos comerciais?

Jesus falou para seus seguidores nunca tentarem ganhar dinheiro com suas atividades religiosas. Ele disse: “Vocês receberam de graça, portanto deem de graça.” (Mateus 10:8) Esses seguidores, que ficaram conhecidos como cristãos, fizeram o que ele disse. Veja alguns exemplos:

  • Certa vez, um homem chamado Simão ofereceu dinheiro ao apóstolo Pedro, que tinha acompanhado Jesus em seu ministério. Simão fez isso porque queria ter poder e autoridade. Na mesma hora, Pedro rejeitou a oferta de Simão e o repreendeu fortemente, dizendo: “Pereça com você a sua prata, porque você pensou que poderia obter o dom de Deus com dinheiro.” — Atos 8:18-20.

  • O apóstolo Paulo era um servo de Deus muito conhecido, que viajava para visitar as congregações cristãs. Ele se esforçou bastante para ajudar seus irmãos, mas nunca tentou ganhar dinheiro com isso. Ele e os outros cristãos não eram “vendedores ambulantes da palavra de Deus, como muitos são”. (2 Coríntios 2:17) Pelo contrário, Paulo escreveu: “Nós trabalhávamos noite e dia para não sermos um peso financeiro para nenhum de vocês ao pregar-lhes as boas novas de Deus.” — 1 Tessalonicenses 2:9.

É claro que aqueles cristãos precisavam de dinheiro para financiar suas grandes campanhas de pregação e obras de caridade. Mas eles nunca cobravam pelas suas atividades religiosas. Quem quisesse podia fazer uma doação, levando em conta os seguintes princípios:

  • 2 Coríntios 8:12“Pois, se já existe a prontidão, a dádiva é especialmente aceitável segundo o que a pessoa tem, não segundo o que a pessoa não tem.”

    O que esse versículo quer dizer: O mais importante é por que a pessoa está dando, e não quanto ela está dando.

  • 2 Coríntios 9:7“Faça cada um conforme resolveu no coração, não a contragosto nem por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria.”

    O que esse versículo quer dizer: Deus não quer que ninguém se sinta obrigado a fazer doações. Ele fica feliz quando a pessoa dá de coração.

O que está para acontecer com as religiões gananciosas?

A Bíblia deixa bem claro que Deus não aceita todas as religiões ou formas de adoração. (Mateus 7:21-23) Com palavras fortes, uma profecia bíblica compara todas as religiões falsas com uma prostituta. Elas são chamadas assim porque se unem aos governos para conseguir dinheiro e outros benefícios, e exploram as pessoas de todos os países. (Apocalipse 17:1-3; 18:3) Essa profecia também mostra que em breve Deus vai executar seu julgamento contra as religiões falsas. — Apocalipse 17:15-17; 18:7.

Até que esse dia chegue, as ações erradas da religião falsa podem enganar as pessoas e afastá-las de Deus, e isso não é da vontade dele. (Mateus 24:11, 12) Por isso, ele incentiva as pessoas sinceras a aprender como podem servir a ele da forma correta e a sair da religião falsa. — 2 Coríntios 6:16, 17.


 

Postar um comentário

0 Comentários